Marketing e sazonalidade: aproveite o tempo de vida do seu produto para gerar vendas

Marketing e sazonalidade: aproveite o tempo de vida do seu produto para gerar vendas

Já explicamos em diversos textos do nosso blog a importância de uma relação estreita entre o marketing – seja a agência, consultor ou equipe interna – da empresa e o setor comercial. Neste texto falamos de forma mais abrangente sobre isso!

Hoje destacamos como é vital conhecer o ritmo das vendas do produto ou serviço do seu cliente e entender como funciona a jornada de compra do cliente dele para ajuste da comunicação. Em geral, dois conceitos são importantes neste sentido: sazonalidade e tempo de vida do produto e serviço.

O que é sazonalidade?

De uma forma descomplicada, a sazonalidade é o aumento ou a diminuição da demanda por um produto ou serviço de acordo com a época do ano. O exemplo mais clássico é o da sorveteria na avenida da praia: durante sete meses do ano, geralmente entre março e setembro, o movimento é mais fraco. O tempo está mais frio, menos pessoas visitam o litoral e próximas da sua sorveteria estão outras quatro. Então, dividir a demanda dos moradores da região entre tantas opções acaba diluindo o faturamento de todos. Alguns chegam até a fechar alguns meses do ano, por não compensar manter a operação, contas mensais com freezer e produtos com prazo de validade restrito.

Mas aí chega a primavera. No final de setembro, começa a esquentar e mais pessoas procuram o sol, o mar e querem se refrescar com sorvete. Hora de abastecer os freezers e talvez até contratar funcionários temporários para dar conta da demanda. No meio deste cenário, em que mais da metade do ano o trabalho é muito fraco para depois ficar muito corrido, como organizar a comunicação? A resposta é planejamento!

Organize a agenda e otimize as ações

Voltando ao exemplo da sorveteria, o trabalho de comunicação de um ano começa ao final da temporada anterior. Planeje quais serão as ações de marketing para o próximo período e quais investimentos serão necessários para:

  • Investimento em profissional, equipe ou agência para planejar e executar as ações de comunicação;
  • Mídia impressa, como folhetos;
  • Marketing Digital, como anúncios em mídias sociais;
  • Promoções, ações de relacionamento com clientes, “ações de guerrilha” e muito mais;

Caso não tenha experiência com este tipo de trabalho, conte com uma agência ou consultor de comunicação para mostrar o caminho ou montar um plano – em alguns casos de forte sazonalidade (como o nosso exemplo) é possível até negociar com o profissional valores diferenciados em cada período ou até um contrato temporário.

No início de setembro, tudo deve estar “engatilhado”. Por que tanta antecedência? O ideal é que a execução do plano de comunicação já comece cerca de 15 dias antes, com ações mais simples, que vão se intensificando conforme a demanda pelo produto aumenta. Uma outra vantagem é que pedindo com tempo de sobra é possível, por exemplo, conseguir melhores preços com gráficas para os folhetos.

Este mesmo processo de planejamento deve ser aplicado a outras situações de sazonalidade, como datas comemorativas. Floriculturas, por exemplo, têm o seu maior pico de vendas no “Dia das Mães”. É preciso aproveitar ao máximo o faturamento extra que a data proporciona, inclusive fazendo investimentos extras na comunicação.

Sazonalidade x tempo de vida

Diferentemente de sorvete, alguns produtos tem um tempo de vida. No caso de uma construtora, por exemplo, é lançado um empreendimento, existe o tempo das obras, que podem levar às vezes dois anos para serem concluídas e as chaves entregues. Neste caso, o papel da comunicação é entender o público que pode se interessar e maneiras de atraí-lo para fechar negócio ao longo de cada período da obra. Além disso, há momentos importantes que merecem divulgação, como assinaturas de contrato e entrega dos apartamentos para os clientes.

Em casos como este, a estratégia é similar aos negócios sazonais, mas levando em consideração que existirá demanda pelo produto desde um pouco antes do seu lançamento até a entrega. Para isso, deve se considerar um planejamento em etapas. Claro que muita coisa acaba mudando pelo caminho, novas ações são propostas e executadas e nem sempre o orçamento se mantém, por uma série de fatores. São ajustes naturais a qualquer estratégia de comunicação, mas ter em mente os principais objetivos e a maneira como eles serão perseguidos podem (e devem) ser muito bem planejados.

Procura uma agência para criar o plano de comunicação que te dará a certeza que seu cliente te encontrará quando estiver procurando pelo seu produto? Fale com a gente!